Acompanhamento Processual

Insira seu usuário e senha para acesso ao sistema de acompanhamento processual.

Webmail Corporativo

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Notícias

Clarissa Tércio critica decisão do STF de equiparar homofobia a crime de racismo

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de enquadrar a homofobia e a transfobia como crime de racismo recebeu críticas da deputada Clarissa Tércio (PSC) na Reunião Plenária desta segunda (17). Na avaliação da parlamentar, a deliberação do tribunal compromete as liberdades religiosa e de expressão e desrespeita o Congresso Nacional, a quem caberia legislar sobre o tema. “Por que privilegiar um grupo se todos são iguais perante a lei?”, questionou a deputada, alegando haver dificuldade de se definir o que seriam ações homofóbicas. “Surrupiaram minha liberdade de criticar a parada gay e as atitudes obscenas que acontecem nela”, exemplificou. “Se eu afirmar que ideologia de gênero é perversão, será considerada uma ação discriminatória? Quem vai dizer o que é homofobia e o que não é?”, prosseguiu. Clarissa propôs que a bancada evangélica no Congresso Federal se mobilize para apresentar com rapidez um projeto de lei que trate do assunto, já que a decisão do STF é válida até haver legislação específica editada pelo Legislativo. “Em nome da comunidade evangélica, deixo um recado ao Supremo Tribunal: podem construir mais presídios, porque os pregadores da palavra continuarão defendendo a verdade, doa a quem doer”, concluiu. Em discurso, o deputado Doriel Barros (PT) se opôs à opinião da parlamentar. “O STF está correto. Quem cometer crime de homofobia terá que pagar por ele”, argumentou.
17/06/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia