Webmail Corporativo

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Notícias

Teresa Leitão critica inclusão da educação em grupo de atividades essenciais

Projeto de lei federal para incluir a educação presencial no rol de atividades essenciais – aquelas consideradas importantes demais para serem paralisadas, mesmo em períodos de calamidade pública – recebeu críticas da deputada Teresa Leitão (PT). Na Reunião Plenária desta quinta (29), a parlamentar defendeu que o setor não é serviço, mas direito constitucional a ser priorizado pelo Poder Público. “O uso do termo ‘essencial’ é para confundir as pessoas. Somos contra a hipocrisia de usar maldosamente o conceito e, em paralelo, não dar à educação a primazia necessária para colocá-la no patamar de direito imprescindível”, argumentou. Ela associou-se ao Fórum Nacional Popular de Educação, que pulgou nota pública contrária à aprovação da matéria, que já foi acatada pela Câmara dos Deputados e está na pauta de votações de hoje do Senado Federal. “Como a educação é um setor essencial se o Governo Federal realiza um corte de R$ 1,1 bilhão no orçamento e contingencia outros R$ 2,7 bilhões reservados à área?”, questionou a petista. Ela convocou os demais parlamentares a articularem politicamente a rejeição ou o adiamento da votação da proposta no Senado.
29/04/2021 (00:00)
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia