Acompanhamento Processual

Insira seu usuário e senha para acesso ao sistema de acompanhamento processual.

Webmail Corporativo

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Notícias

Parlamentares repercutem consequências das chuvas no Grande Recife

As chuvas que atingem a Região Metropolitana do Recife (RMR) desde a última quinta (13) repercutiram na Assembleia. Na Reunião Plenária desta segunda (17), o deputado João Paulo (PCdoB) criticou os cortes feitos pelo Governo Federal em verbas que, na avaliação dele, poderiam minimizar os danos e perdas registrados. O bloqueio atinge áreas como contenção de cheias e inundações e ações de defesa civil. Já o deputado Wanderson Florêncio (PSC) cobrou informações da Prefeitura do Recife (PCR) sobre ações para prevenção de enchentes. O parlamentar do PCdoB abordou um estudo da Associação Contas Abertas, feito a pedido do jornal O Estado de S.Paulo, que mostra que cerca de 140 projetos de 11 ministérios estão com 100% dos recursos bloqueados. De acordo com o levantamento, a área de defesa civil perdeu R$ 426,7 milhões, e o Ministério da Infraestrutura teve bloqueadas 44,2% das despesas de apoio a sistemas de drenagem e manejo de águas pluviais em municípios considerados críticos. João Paulo citou cada uma das nove mortes ocorridas no Recife e na RMR, destacando a queda de barreira em Camaragibe, que causou o falecimento de Edilene da Conceição, 30 anos, e de seus cinco filhos. “A Defesa Civil é uma prioridade, pois dela dependem vidas humanas”, disse. “As vidas perdidas e os transtornos são inaceitáveis e evitáveis. E não há como negar que, sem verbas, o enfrentamento dessas tragédias torna-se mais difícil”, acrescentou. Wanderson Florêncio, por sua vez, criticou a Prefeitura do Recife por não ter respondido a uma indicação feita por ele em abril, na qual pediu informações sobre investimentos na prevenção de acidentes em áreas de risco. No documento, o deputado solicitou, ainda, esclarecimentos sobre planos de emergência contra enchentes e catástrofes naturais. Para o parlamentar, ao não responder ao pedido após dois meses, a PCR “desrespeitou” o Poder Legislativo. Conforme anunciou, voltará a solicitar as informações por meio de um requerimento. “Não vimos a CTTU (Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife) organizar uma força-tarefa para evitar os transtornos. Chegou ao ponto de uma motorista passar direto no túnel da Via Mangue e morrer afogada”, enfatizou. “Estamos aqui para lamentar essas cenas, repetidas a cada momento de chuva, ano após ano. E lamentar, especialmente, a falta de respeito com esta Casa e com as pessoas que se utilizam do nosso instrumento legislativo para ter a compreensão do cenário em que a cidade se encontra”, emendou.
17/06/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia